Prof. Dr. Roth Vargas

NEROUCIRURGIÃO

Campinas SP

Brazil

Tel. (55) X 19 9 3789 5577

www.cmcnet.com.br


Vertebrados
O aparecimento da estrutura VERTEBRA na sequência da evolução dos seres é a mais importante ocorrência no desenvolvimento do ser humano... mens sapiens ! Essa estrutura surge como proteção ao sistema neural e na sequência, diferenciando-se, possibilita a evolução do homem como ser inteligente o qual se torna soberano no universo. O vertebrado tem seu sistema nervoso bem protegido. A vértebra proporciona, no processo de seleção natural, mais chance de sobrevivência aos seres que possuem essa estrutura. O aparecimento da vértebra determina a diferenciação do filum vertebrae tal sua importância na escala evolutiva.

A associação de vértebras forma a coluna vertebral, inicialmente com arquitetura “projetada” para a posição horizontal (peixes, répteis, quadrúpedes...), no ser humano passa a “trabalhar verticalmente” sem mudanças significativas (ainda) em sua estrutura. A posição vertical acarreta diversos problemas mecânicos que irão refletir na saúde do ser humano, em especial no sistema nervoso que se encontra protegido no interior da coluna.

Sendo as vértebras articuladas entre si, verificamos que as alterações mecânicas que naturalmente acontecem durante a vida do ser humano (consideremos uma trajetória de cerca de 80 anos), ocorrem quase que exclusivamente nos pontos articulados ...faceta articular, disco intervertebral, articulação costo-transversal, junção crânio-vertebral... a coluna vertebral possui mais de 140 articulações, mais do que o total das articulações do esqueleto humano somadas. Considerando que as articulações são as regiões do esqueleto mais sujeitas a “desgaste”, constatamos que a coluna vertebral é, portanto, muito vulnerável à degeneração natural que refletirá em seu conteúdo protegido – o sistema nervoso, medula espinhal e raízes nervosas.

Importante observar que regiões da coluna onde as vértebras não se articulam, ou seja... já foram fusionadas no processo da evolução (sacrum-clivus-cranio!) não encontramos problemas mecânicos tão comuns encontrados nas outras regiões. Exclui-se aqui a ocorrência de tumores e traumas que podem ocorrer em qualquer setor do esqueleto. Notável também observar que a coluna torácica, por ser menos móvel comparada a outros setores da coluna, também é menos acometida de problemas mecânicos naturais . A estabilidade da coluna torácica deve-se a sua íntima ligação com a caixa torácica, uma verdadeira “gaiola” formada pelas costelas, conectadas entre si através do osso externo e coluna. Nessa região da coluna, menos móvel encontramos p. exemplo, somente cerca de 2% das hérnias de disco ! ...as hérnias ocorrem em maior frequência nas regiões onde existe maior mobilidade, nos segmentos cervical e lombar. Notável também observar que na região cervical a maior ocorrência de problemas mecânicos – hérnias de disco, artroses – ocorrem na região chamada de “família do meio” C4-5-6 e suas adjacências, ou seja, na região de maior mobilidade. Assim também na região lombar a maior frequência de hérnias, artroses, lístesis... aparecem na região de L4-5-S1, região mais móvel e com maior suporte de carga.

Interessante ainda mencionar pacientes que, no decorrer dos anos, apresentando degeneração discal, podem ter suas vértebras fusionadas ou semi-fusionadas naturalmente em determinado segmento (p.ex. L4/5, L5/S1). A probabilidade de ocorrência de hérnia de disco nesses pacientes em espaços “mais altos” – L3/4 é comum, isso verificamos na pratica médica, pacientes idosos tem mais chance de apresentar hérnias de disco em espaços mais altos – L2/3, L3/4/ uma vez que os espaços abaixo encontram-se muitas vezes naturalmente “semi-fusionados”. Na coluna cervical observamos algo semelhante, determinado paciente que apresenta degeneração discal em um determinado nível (pinçamento) irá apresentar sua “hérnia aguda” no espaço acima ou abaixo.

Nesse raciocínio verificamos que áreas da coluna vertebral menos móveis apresentam menos problemas mecânicos. Assim, ocorrência de fusões naturais de vértebras encontradas em alguns pacientes (... síndrome de Kipellfeil !) deve ser considerada como sendo um “elo de evolução” uma vez que, nessas vértebras fusionadas não ocorrem artroses ou hérnias, pois não existe articulação e em seu interior, o sistema nervoso nesse trecho é menos vulnerável. Notamos sim alterações degenerativas evidentes e avançadas nos espaços discais acima e abaixo das vértebras fusionadas.

Convém mencionar que estudos revelam a projeção do esqueleto humano do futuro – milênios - a coluna vertebral tende a tornar-se uma estrutura sólida !!!
Rua Dr. Edilberto Luís Pereira da Silva 150
Barão Geraldo - Campinas/SP